Pagamento. O atendimento do Pronto Socorro, SAMU e PAM voltaram ao atendimento normal

Atualizado as 12h51 de 15 - 2 - 2018

O atendimento médico no Pronto Socorro da Santa Casa, do Pronto Atendimento Médico da Santa Casa, do PAM da zona norte e do SAMU já está restabelecido de acordo com um médico especialista, isto devido ao repasse feito pela prefeitura para com a Santa Casa, a fim de serem repassados para os médicos.

A paralisação no atendimento ocorreu das 07h00 até por volta das 12h30, quando os médicos tiveram seus vencimentos do mês de janeiro acertado.

Veja matéria anterior

As portas do Pronto Socorro da Santa Casa de Misericórdia da cidade de Pirassununga/SP deveriam ser fechadas a partir das 07h00 da manhã desta quinta-feira, 15, isto devido ao não acordado em reunião do Corpo Clínico com o prefeito municipal Ademir Alves Lindo (PSDB). Ainda, de acordo com informações, somente pacientes em estado de EMERGÊNICA serão atendidos e internados. Os demais pacientes que procuram pelo atendimento no Pronto Socorro estão sendo orientados a procurarem uma Unidade Básica de Saúde.

Rotina

Os atendimentos ambulatoriais, segundo decido na reunião dos médicos do Corpo Clínico e da Mesa Administrativa da Santa Casa, serão retomados depois das dívidas recebidas.

Os repasses de verbas da Prefeitura para com a Santa Casa, para pagamentos referentes aos três convênios (Santa Casa, Pronto Socorro e SAMU) estão sendo levados com a “barriga” pela administração pública que não quita com seus deveres.

Em programas de rádio, o prefeito Alves Lindo alega dificuldades financeiras devido as quedas nas arrecadações do município, bem como com a falta de repasse por parte dos governos do Estado e da União.

Pagamento

De acordo com informações de um médico, a administração municipal alegou que devido ao Carnaval não conseguiu fazer a transferência bancária, mas que o procedimento seria feito até o final da manhã desta quinta-feira. Caso isto venha a ocorrer o atendimento volta ao normal.

Divida

A prefeitura municipal deixou de fazer os repasses para o pagamento dos médicos nos meses de novembro e dezembro de 2017, quando então em uma possível decisão tomada pelo Corpo Clinico de uma paralisação, o prefeito Lindo teria firmado um acordo com os profissionais (médicos) da Santa Casa em fazer em quatro repasses de 25% (2 de fevereiro, 20 de março, 24 de abril e 20 de maio) para quitar a dívida. Também, neste “acordão” ficou definido que o município repassaria no dia 10 de fevereiro o dinheiro para o pagamento dos médicos referente ao mês (trabalhado de janeiro), o que não ocorreu.

Contatos entre Corpo Clínico e Administração Pública, a conversa tida nesta quarta-feira, 14, que devido ao feriado de Carnaval os bancos ficaram fechados, mas que as 12 horas, na reabertura dos trabalhos das agências bancárias uma transferência seria feita, fato este que não teria ocorrido.

No dia 2 de fevereiro a prefeitura municipal efetuou o repasse acordado de 25% para o pagamento da primeira quinzena de novembro aos médicos. Mas, a dívida com a Santa Canta (procedimentos) ainda foi quitada.

Portas fechadas

Um médico e um integrante da Provedoria da Santa Casa que solicitaram o anonimato permaneceram durante toda a reunião que teve início das 18 horas desta quarta-feira, 14, em contato com nossa reportagem, onde as 21h26 disseram que a partir das 07h00 desta quinta-feira, 15, apenas EMERGÊNCIA serão atendidas, pois, o setor administrativo da Santa Casa teria acampado e aceitará somente pacientes em estado gravíssimo parta internamento.

“Estamos aguardando o comunicado oficial da Comissão de Greve para providenciar todas as atitudes necessárias para o atendimento de Urgência e Emergência. Lembro que esses valores teriam que ser (sic) passados, segundo o contrato até o último dia do mês de janeiro.

Intervenção

Um médico ligado ao Corpo Clínico disse para nossa reportagem, se caso, o prefeito intervir na Santa Casa, todos os médicos da Santa Casa pedirão imediata demissão.

Caixa Postal

Nossa reportagem ligou para o telefone celular do secretário de saúde, Edgar Saggioratto, mas caiu na caixa posta, isto para que pudesse falar em relação a esta possível paralisação.

GCM

Desde a madrugada desta quinta-feira, 15, homens e viaturas da Guarda Civil Municipal estavam postados em frente ao Pronto Socorro.

 

Comentários