Vigilância divulga campanha preventiva contra tuberculose

A Secretaria Municipal de Saúde do município de Pirassununga/SP, por meio da Vigilância Epidemiológica e das Unidades de Saúde da Família, realiza a Campanha de Intensificação de Busca Ativa de Casos de Tuberculose em Sintomáticos Respiratórios, que se iniciou nesta segunda (6) e segue até segunda-feira (20). Pessoas com tosse a mais de uma semana devem procurar uma unidade de saúde para avaliação médica e solicitação de exame.

A tuberculose é uma doença altamente contagiosa, que atinge 80 mil pessoas todo ano no Brasil; isso equivale um estádio “Jornalista Mário Filho” (Maracanã) lotado, a cada manifestação de novos casos registrados.

As pessoas podem se proteger da doença mantendo sempre a casa arejada, permitindo a circulação do ar e a entrada de luz. A tuberculose é transmitida pelo ar, por meio da tosse, da fala e do espirro. Por isso é essencial que as pessoas fiquem atentas aos sintomas da doença, principalmente a tosse por mais de três semanas e procurar um serviço de saúde.

Caso seja diagnosticada com tuberculose será iniciado o tratamento que tem duração de seis meses e deve ser feito até o final. A partir de 15 dias após o início do tratamento, não existe mais risco de contágio. No entanto todos aqueles que conviveram com a pessoa com tuberculose devem fazer o exame.

A tuberculose tem cura e informações gerais sobre esta doença e campanha neste mês de novembro podem ser obtidas na sede da Vigilância Epidemiológica Municipal (3561-6292) ou em quaisquer unidade de saúde municipal.

Pirassununga – A Vigilância Epidemiológica divulgou, nesta semana, um breve histórico dos casos de tuberculose em Pirassununga. Em 2012, por exemplo, foram notificados 20 casos, dos quais, 26 novos; dois recidivos (que reapareceram) e outros dois retratamentos após abandonos.

Entre os anos de 2013 e 2016, foram assim notificados: 2013 - 16 casos (12 casos novos, 3 recidivas, e 1 retratamentos após abandono); 2014 - 31 casos (27 casos novos, 3 recidivas, e 1 retratamentos após abandono); 2015 - 17 casos (15 casos novos, 1 recidivas, e 1 retratamentos após abandono); 2016 - 21 casos (17 casos novos e 4 recidivas); e 2017 - 19 casos (16 casos novos e 3 retratamento pós-abandono).

Segundo dados atualizados pela Vigilância Epidemiológica, neste momento, são oito pacientes que estão em tratamento intensivo e, também na atual temporada, ocorreram duas mortes em decorrência da doença.

Informações da Imprensa Oficial da Prefeitura Municipal de Pirassununga

Fotos
    Nenhuma foto disponível para esta matéria.

Comentários